fbpx
Bem-estar

Diminua o ritmo e relaxe: a música eletrônica como um instrumento de relaxamento

Diminua o ritmo e relaxe: a música eletrônica como um instrumento de relaxamento

Pode parecer um tanto quanto estranho você pensar em utilizar a música eletrônica como um instrumento de relaxamento, mas sim, isso é possível.

Primeiro precisamos voltar um pouco no tempo.

A música tem acompanhado o homem desde os primórdios da humanidade. Ao longo da história, diversas culturas se utilizaram da música com o objetivo de promover a saúde ou até mesmo efeitos curativos. Segundo documentos, a música já era utilizada com objetivos terapêuticos por séculos, sendo o papiro de kahum o mais antigo em trazer essa relação.

Estudos mais recentes evidenciam que a música pode sim favorecer a manutenção da saúde mental, a prevenção do estresse, o alívio do cansaço físico e a indução do relaxamento.

Mas onde a música eletrônica entra nisso?

Há várias canções e sons que nos ajudam a relaxar, além de alterar o nosso estado vibracional e a música eletrônica pode também ser usadas nessas terapias. E isso a neurociência explica: as batidas e o baixo na música eletrônica podem ajudar a arrastar nossas ondas cerebrais para um estado Gamma (30-70Hz), o mesmo relacionado as meditações, que resultam em um estado de amor profundo e gentileza (Lutz et al., 2004). Ou seja, elas auxiliam na mudança do nosso estado emocional.

É aqui que a mágica acontece…

Ao se combinar em um set (ou experiência meditativa) segmentos musicais como o techno melódico, deep house, progressive house, downtempo, chill wave, chill out e ambiente house forma-se quase um aspecto hipnótico, levando o cérebro a um estado “alfa”, induzindo um “transe” profundo onde o tempo desaparece e de repente tudo que importa está acontecendo ali, naquele momento presente.

Experiências reais e na prática

O lendário grupo de trance Above & Beyond em 2014 participou de uma experiência meditativa durante o famoso festival de contracultura Burning Man. A partir daquele start, Jono Grant, Tony McGuinness e Paavo Siljamäki, começaram a sentir interesse em trabalhar em algumas trilhas que pudessem ser usadas em sessões de yoga e meditação. Foi quando nasceu o álbum “Flow State”, lançado em 2019, que traz faixas mais reflexivas e ainda contam com a parceria da guia e terapeuta holística Elena Brower.

“Nossa música sempre foi sobre entrar em contato com nossas emoções. Depois de incríveis sets de yoga, percebemos que há um lugar para esse tipo de música. Com o projeto Flow State queremos ajudar a atrair o foco das pessoas para esse tipo de preparo mental e autoajuda. Através de uma consciência elevada, podemos alcançar um estado de espírito criativo e livre, onde o tempo, o medo e o estresse se dissipam”, declarou Siljamäki, um dos integrantes do grupo de música eletrônica, a imprensa durante o lançamento do projeto.

Pode parecer um processo complicado, mas a única coisa que você precisa fazer é pegar seus fones, trazer sua atenção e embarcar nessa jornada.

Luccah Koch

Eu sinto que OOM é uma extensão de mim mesmo!


Comentários

Receba novidades por e-mail

Cadastre seu e-email e receba novidades semanalmente.